terça-feira, 2 de agosto de 2011

Projeto de alfabetização

PROJETO
ALFABETIZAR   É  POSSÍVEL
Daniela Rosa da Silva



OBJETIVO GERAL
  • Possibilitar que as crianças vivenciem, desde o início de seu processo de alfabetização, atividades que envolvam textos, palavras e letras significativas.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
1-      Propiciar aos alunos um trabalho rico e prazeroso na aquisição da escrita e da leitura.
2-      Propiciar às crianças a aquisição de um repertório de letras, palavras e textos de forma a contribuir para o desenvolvimento do processo de alfabetização.
3-      Estimular a pesquisa e a análise das palavras do texto.
4-      Escrever o nome completo
5-      Escrever palavras e frases
6-      Ler palavras, frases e textos
7-      Compreender pequenos textos escritos
8-      Compreender textos orais
9-      Produzir textos coletivos
10-  Escrever textos que se sabe de cor
11-  Utilizar diferentes estratégias de leitura

JUSTIFICATIVA

O grande número de crianças que se encontram no 3º ano do I ciclo do Ensino Fundamental sem as habilidades básicas para o uso eficiente da leitura e da escrita é uma realidade na rede municipal de ensino da cidade de Salvador e também da Escola. A cada ano vemos crescer a quantidade de alunos que não conseguem ser alfabetizados nos três primeiros anos do ciclo, o que aumenta a repetência no 3º ou são aprovados para o 4º ano sem dominarem as convenções da escrita alfabética, sendo que a maioria desses alunos apresentam também, uma leitura ainda inicial, sem compreensão e sem domínio das estratégias de leitura.
Assim, o projeto de alfabetização surge exatamente da necessidade percebida pelo corpo docente e coordenação pedagógica da escola, de estabelecer caminhos para a alfabetização das crianças no I ciclo do ensino fundamental, para que elas possam adquirir as habilidades necessárias para fazer uso eficiente da leitura e da escrita no nível esperado para o seu ano de escolarização, como forma de diminuir os índices de repetência no 3º e aumentar o nível de proficiência na leitura e na escrita de todas as crianças da escola.

METAS
  • Alfabetizar 100% das crianças do 2º ano
  • Alfabetizar 90% das crianças do 3º ano

SÉRIES ENVOLVIDAS: 2º ao 3º ANO
CONTEÚDOS TRABALHADOS

  • O nome próprio
  • Alfabeto
  • Vogais e consoantes
  • Compreensão de textos
  • Escrita de palavras
  • Escrita de frases
  • Textos coletivos
  • Produção de textos individuais
  • Leitura de palavras e frases
  • Leitura de textos

DISCIPLINA ENVOLVIDA
  • Língua Portuguesa

      ESTRATÉGIAS/ METODOLOGIA
  • Rodas de leitura
  • Leitura por prazer
  • Trabalhos em duplas
  • Trabalhos em grupos
  • Reconto de textos
  • Reescritas de textos
  • Elaboração de jogos de palavras
  • Uso do alfabeto móvel
  • Montagem de cartazes e painéis com os textos a serem trabalhados em cada semana

RECURSOS MATERIAIS
  • Lápis de cor
  • Hidrocor
  • Aparelho de som
  • Livros infantis, textos variados, jornais, revistas, rótulos de produtos
  • Textos xerocados
  • Aparelhos de som, TV e DVD

ETAPAS

1-      Alfabetização e Letramento – I e II Bimestres
·         Trabalhando nomes próprios
·         Trabalhando listas de palavras
·         Trabalhando com quadrinhas e parlendas (1º ano)
·         Trabalhando com poesias (2º ano)
·         Trabalhando com fábulas (3º ano)

2-      No Mundo Encantado dos Contos e fábulas – III e IV Bimestre
  • Trabalhando com contos indígenas, africanos e europeus
  • Reconto coletivo de contos

AVALIAÇÃO

  • Os momentos de leitura (ou pseudo-leitura) em classe;
  • Participação nas rodas de leitura;
  • Realização das atividades escritas;
  • Observar se os alunos avançam no estabelecimento de relações entre o escrito e oral, e se obtêm avanços na interpretação de textos, bem como nas habilidades gerais de leitura e escrita.
  • Montagem de um portfólio de atividades

Organização do trabalho
  • A partir dos textos escolhidos, trabalhar as vogais as consoantes, e as famílias silábicas de determinadas palavras do texto
  • A partir das famílias trabalhadas, formar outras palavras
  • Formar listas de palavras
  • Listas de títulos de histórias lidas para os alunos sempre destacando letra inicial e final, buscando outras palavras e nomes de crianças da turma que comecem com a  mesma letra
  • Trabalhar quantidade de letras das palavras
  • Fazer ditado de palavras
  • Ditado de frases
  • Textos e recontos coletivos no quadro

O que os alunos precisam aprender:

Sistema de escrita
        Que se usa letras do alfabeto para escrever
         Ajustar a escrita à fala (fazer relação entre como se fala e como se escreve)
        O valor sonoro das letras (referência nomes dos colegas e outras listas)
        Como as letras se organizam para produzir uma palavra
        Diferentes tipos de letras
        Diferentes tipos de textos (função social)
        Regras ortográficas

Linguagem escrita
-          Segmentação
-          Organização da estrutura narrativa
-          Ampliar a leitura e escrita dos gêneros textuais

Procedimentos que devem ser enfatizados

Leitura
          Participar de situação em que os adultos lêem para ela textos de diferentes gêneros
          Participar de situações que ainda não leiam convencionalmente (leitura de livros, imagens e de textos que se sabe de cor)
          Reconhecer o nome em situações reais
          Observar e manusear material impresso
          Valorizar a leitura como fonte de prazer e entretenimento

Escrita
          Participar de situações em que se faz necessário o uso da escrita
          Escrita do nome em situações reais
          Produção de texto coletivo
          Escrita de próprio punho utilizando o conhecimento que dispõe sobre como se escreve
          Respeito pela própria produção e pela produção alheia


Estratégias de leitura
        Seleção: se deter no que é útil desprezando o resto.
        Antecipação: prever o que está por vir com base na informação explicita ou suposição (letras, significado, autor, gênero, título)
        Inferência: permite captar o que não está dito (adivinhações). Inferimos significados, palavras ou letras. Boa parte do conteúdo de um texto pode ser antecipado ou inferido em função do contexto, portador, etc. O contexto, na verdade, contribui decisivamente para interpretação do texto e para inferir a intenção do autor
        Verificação: torna possível o controle e a eficácia das outras estratégias, permite confirmar ou não as especulações realizadas.

Desafios para os alunos não alfabetizados
·         Escrever e tentar ler a própria escrita representa um bom desafio para alguém que ainda não sabe ler, pois envolve tomar decisões em relação a quantas e quais letras utilizar e justificar as escolhas feitas.
·         Ficar constantemente exposto a situações de uso social da escrita: ouvindo o professor ler uma história  ou notícia de jornal, participando da produção escrita de um bilhete para os pais ou de um texto produzido oralmente pelo classe  e escrito pelo professor.

          Serem colocados no papel de “leitores”propor atividades de leitura de textos que sabem de cor, acompanham com o dedo  e localizam palavras, localizar palavras em uma lista...O esforço para descobrir o que está escrito, exige que as crianças utilizem algumas estratégias de leitura e o conhecimento do valor sonoro das letras. Fazer questões para que justifiquem a leitura. Quando justifica, explicita o que pensa, abre possibilidades de intervenção pelo professor e ainda possibilita que colegas façam uso do seu conhecimento: Onde está escrito determinada palavra, em que índices se apoiaram, etc.

·        Confrontar sua escrita com a de outro colega ou escrever determinada palavra em parceria.

          Oferecer informações úteis para ajudá-los a avançar em suas aprendizagens. Importância da utilização das referências escritas na classe, para ajudar as crianças nesse processo de descoberta do que está escrito, por ex: lista de nomes e outras listas.

Propostas de atividades
          Leitura e escrita dos nomes e rótulos de produtos conhecidos
          Leitura do alfabeto exposto na sala
          Leitura e escrita de textos conhecidos de memória (cantigas, parlendas, quadrinhas, etc.)
          Leitura e escrita de listas diversas
          Leitura e escrita de títulos de histórias
          Leitura e escrita de adivinhas, quadrinhas e cantigas de roda
          Cruzadinha, caça palavras, jogo da forca, formação de palavras, etc.
       
O que se espera que os alunos aprendam nessas situações
          Refletir sobre o sistema buscando fazer a correspondência entre os segmentos da fala e os da escrita.
          Conhecer as letras do alfabeto, sua ordem, seus valores sonoros,
          Observar e analisar o valor e posição das letras nas palavras
          Compreender as regras do funcionamento do sistema

Importante
·         Desafie os alunos a ler apoiando-se em indicadores textuais: história  em quadrinhos, capas de revistas ou de livros de literatura, cartazes,  rótulos e embalagens, etc.
·         Proponha que os alunos escrevam todos os dias: o próprio nome em seus trabalhos, consultando se necessário o crachá ou cartaz afixado e a data copiando-a da lousa.
·         Proponha também momentos de exploração de livros, revistas, etc.
·         Letra de uma cantiga (alunos ditam para você)
·         Produção oral com destino escrito (conto)
·         Escreva na frente dos alunos todos os dias: a lista das atividades do dia, nome dos ajudantes, o título do texto que será lido, etc.
·         Convide os alunos a ler todos os dias: nome dos colegas, listas de histórias, alfabeto, atividades do dia, etc.
·         Proponha que os alunos comparem  os diferentes tipos de letras utilizados na escrita.

Comunicação oral (duas vezes por semana)
  • Recontar histórias ouvidas
  • Participar de situações que permitam emitir opiniões, sentimentos, etc.

Participação em situações de leitura envolvendo (aprender a ler lendo):
          Ouvir histórias (diariamente)
           Textos de memória  (relação entre o falado e o escrito)- parlendas, canções, quadrinhas...
          Descoberta do sentido do texto apoiando-se em indicadores: diagramação, palavras, letras, imagem... (ler capas de revista e livros de literatura, rótulo e embalagens, histórias em quadrinhos...)

Escrita: participação de situações de escrita envolvendo:
          Escrita do nome – crachá, lista
          Escrita espontânea – hipóteses de escrita – escrita de palavras, formação de palavras (jogo de letras e sílabas, organização de listas contextualizadas...)
          Estudado de aspectos da escrita (análise e reflexão da língua) - alfabeto, regularidades em listas, formação de palavras, construção da família silábica, cruzadinha, caça palavras...
          Produção de textos coletivos- reescritas de histórias ouvidas, a partir de histórias em quadrinhos, bilhete...

Procedimentos metodológicos para o trabalho com cantigas de roda, quadrinhas, poemas, etc.

·   Trabalhar com as letras das cantigas, quadrinhas, etc.
·    As letras serão copiadas em cartolina e afixadas na parede para que todos se familiarizem com o texto.
·   Os alunos já alfabetizados reescrevem os textos. Enquanto isso, os outros poderão executar diversas atividades como ordenar tiras de papel com versos, palavras e letras, marcar palavras que já conhecem ou sílabas que reconhecem. Essas atividades dependerão das hipóteses em que as crianças se encontrem.
·   A turma ainda pode fazer exercícios de rimas, separando termos da frase, completar e ordenar versos e palavras. Ultrapassada essa fase, fazer o livro onde o aluno escreve e ilustra uma cantiga, quadrinha ou poema.
·   O texto pode ser fatiado em frases ou ainda cortado em palavras para os alunos montarem (de acordo com o nível da turma).
·   Escolher algumas palavras do texto para trabalhar: sílabas, formação de palavras, outras palavras que começam com a mesma letra, crianças da turma que começam com a letra da palavra escolhida.
·   Elaboração de um banco de palavras
·   Pesquisa de palavras iniciadas ou finalizadas com a mesma letra da palavra escolhida.


Encaminhamentos Metodológicos

1º semana – trabalhando nomes próprios
1º dia
- Organizar os alunos em um grande círculo e ler para eles a poesia:

Nomes e histórias

Maria começa com mar
E termina com dia
Que mais posso imaginar
Com quem se chama Maria?
Roberta é sorriso aberto
Luciana é luz que atravessa
Leonardo. É nome danado!
Já vem com o leão marcado
O Pedro tem pedra no nome
Marcelo parece martelo
O Marcos é cheio de marcas
O Severino é severo?
Augusto, Leandro, Aurora
João, Mariana da Glória
Benedita, Sérgio, Vitória
Cada um tem sua história
E você como se chama?
Venha logo me falar
Pois a história do seu nome
Só você pode contar

- colocar à disposição do grupo: papel, hidrocor, lápis de cor, etc.
- pedir que cada um conte a história de seu nome e faça um desenho (auto-retrato)
- o professor também deverá contar a sua história

2º dia
Fazer uma listagem com os nomes dos alunos da turma
Fazer a leitura com os alunos
Identificar: nomes iguais e circular, destacar as letras iniciais, letras finais, quantidade de letras,
Trabalhar as famílias silábicas de iniciais de nomes iguais; EX: Maria e Marcelo – trabalhar a família silábica do M
Fazer listagem de palavras com M

3º dia
Continuar a tarefa do dia anterior
Fazer no quadro, uma forca com os nomes dos alunos da turma
Intervenções:
Organizar os alunos em equipes
Pedir que cada equipe escreva um nome de um dos colegas da sala em um pedaço de papel. O professor deverá recolher os nomes e fazer o jogo da forca com os mesmos.
Após escreverem todo o nome, proceder à analise do mesmo:
Nº de letras___           1º letra___        última letra____       vogais___     consoantes____
Ditado de palavras com os nomes trabalhados na forca

4º dia
Fazer bingo de nomes com os nomes dos alunos da turma

5º dia
Trabalhar a formação de famílias silábicas com iniciais de nomes de alunos da turma.
2º semana – trabalhando listas
1º dia
Fazer a leitura de uma história infantil que fale de animais
Fazer a interpretação oral da história
Escrever o título da história para analisar a sua escrita
Levantar com os alunos, se têm animais de estimação, que animais gostam
Construir uma lista com nomes de animais presentes no texto  e outros levantados em conversa com a turma.
O professor deverá  escolher alguns alunos e pedir que cada um diga como escreveu ou mostrem no quadro ou apresentando o caderno para que o professor veja como ele escreveu.
Em seguida, escrever no quadro a palavra e pedir a turma que façam as correções- sempre  levando-os a refletirem sobre a escrita.

2º dia
Trabalhar famílias silábicas das palavras trabalhadas na aula anterior
Trabalhar formação de palavras com as famílias trabalhadas
Construir listas com as novas palavras trabalhadas

3º dia
Fazer listagem dos materiais que os alunos precisam trazer para a escola todos os dias.
EX: caderno, livros, borracha, apontador, etc.
Trabalhar quantidade de letras, letra inicial e final, número de sílabas, outras palavras que iniciem com a mesma letra.
Confeccionar cartaz com a listagem de animais e de materiais escolares para pôr na sala de aula
Fazer ditado de palavras com palavras já trabalhadas pelo grupo

4º dia
Fazer forca, bingo de palavras, caça-palavras ou cruzadinhas com palavras já trabalhadas

5º dia
Fazer forca, bingo de palavras, caça-palavras ou cruzadinhas com palavras já trabalhadas

OBS: ao trabalhar as listas, é sempre importante fazer a análise das palavras, fazendo a relação entre como se fala e como se escreve, fazendo a relação entre o som inicial das palavras e sílabas.

SUGESTÕES DE LISTAS

Listar:
  • Nomes de alunos da sala de aula;
  • Aniversariantes do mês
  • Livros lidos na sala
  • Brinquedos preferidos
  • Nomes dos jogos preferidos do grupo
  • Animais, personagens, países que conhecem (que ouviram falar)
  • Títulos de histórias conhecidas
  • Ingredientes de uma receita
  • Palavras do texto trabalhado (inclusive em outras disciplinas)
  • Palavras com determinadas sílabas ou letras:  palavras com x, ch, s, ss, etc.

3º semana- Parlendas
1º dia
Montar na sala um mural com diversas parlendas, apresentá-las aos alunos e ler com eles.
Colocar num cartaz grande uma parlenda para ser trabalhada durante a semana.

HOJE É DOMINGO
PÉ DE CACHIMBO
CACHIMBO É DE BARRO
DÁ NO JARRO
O JARRO É FINO DÁ NO SINO
O SINO É DE OURO DÁ NO TOURO
O TOURO É VALENTE DÁ NA GENTE
A GENTE É FRACO
CAI NO BURACO
O BURACO É FUNDO ACABOU-SE O MUNDO.

Fazer a leitura com os alunos, passando o dedo pelo texto para que eles percebam que cada palavras que você está lendo está escrita no texto;
Destacar as palavras que rimam
Escrever essas palavras ao lado para que as crianças comparem suas escritas
Fazer a leitura de palavras com RR
Procurar em livros e revistas outras palavras que tenham RR
Fazer um banco de palavras com RR

2° dia
Ler a parlenda do cartaz
Distribuir uma cópia da parlenda para cada criança
Pedir que leiam a sua parlenda e circulem as palavras que você vai ditar:
DOMINGO, BARRO, JARRO, SINO, MUNDO
Ensinar a família silábica do S
Listar palavras que comecem com a letra s
Reler a parlenda e ilustrá-la

3º dia
Pedir aos alunos que leiam oralmente a parlenda do cartaz e depois identifiquem as palavras OURO E TOURO.
Trabalhar a família do t
Escrever outras palavras começadas com O e com T
Listar outras palavras que tenham encontros vocálicos

4º dia
Trabalhar outras palavras do texto, como GENTE, VALENTE, MUNDO, DOMINGO.
Destacar como se faz a leitura de sílabas como: an, en, in, on, un,

5º dia
Trabalhar palavras com RR – destacar os diferentes sons da letra r
Fazer a leitura com as crianças, individualmente e depois fazer uma listagem das palavras trabalhadas ao longo da semana.

4º semana – Parlenda
1º dia
Escolher uma parlenda, apresentá-la no quadro
Fazer a leitura coletiva
Chamar algumas crianças no quadro para ler a parlenda
Entregar uma cópia a cada criança e pedir que, em duplas, circulem as palavras que rimam.
Depois de um tempo, pedir às duplas que falem quais palavras circularam
Anotar as palavras no quadro e analisá-las quanto a letra inicial, final, número de sílabas, formação de famílias silábicas, etc.
Pedir que os alunos releiam a parlenda e ilustrem-na.

2º dia
Reler a parlenda coletivamente no quadro, revisar as palavras trabalhadas no dia anterior
Propor às crianças que, em duplas, formem frases com as palavras trabalhadas e/ou outras da parlenda que achar importante.
A professora deverá anotar no quadro as palavras que as crianças deverão usar.
Determinar um tempo e registrar no quadro algumas frases escritas pelos alunos para serem analisadas.

3º dia
Reler a parlenda coletivamente no quadro
Fazer um ditado de palavras com as palavras trabalhadas na parlenda

4º dia
A professora dará a cada grupo um envelope contendo a parlenda recortada em frases ( as crianças deverão estar sentadas no chão, em pequenos grupos)
As crianças terão que organizar a parlenda da forma correta
Depois poderão trocar seus versos de lugar, formando uma nova parlenda.
Cada grupo fará a leitura de como ficou a sua parlenda
Todas as crianças do grupo deverão copiar a sua parlenda
A professora deverá digitar as parlendas de cada grupo para expor na sala

5º dia
Distribuir livros e/ou cópias de parlendas e pedir que os alunos leiam como souberem e escolham as que mais gostaram.
A professora passará pelas mesas pedindo às crianças que leiam a parlenda escolhida.
Cada aluno receberá uma folha de papel onde deverá copiar a parlenda escolhida e ilustrá-la.

SUGESTÕES DE ATIVIDADES

  • Parlenda fatiada em palavras (para alunos alfabéticos) e em frases para alunos silábicos e pré-silábicos
  • Reescrita coletiva de parlendas
  • Ilustrar uma parlenda dada
  • Trocar a ordem dos versos para criar outra parlenda

OBSERVAÇÕES
  • A professora deverá escolher continuar trabalhando parlendas mais uma semana ou trabalhar fábulas.
  • Dependendo do ritmo de desenvolvimento da turma, poderá trabalhar dois textos por semana;
  • A sala de aula deve ser um ambiente alfabetizador, e para isso, os textos trabalhados e outros do gênero devem estar colados nas paredes da sala;
  • Além dessas atividades, a professora deve estar trazendo outros textos e atividades para a sala de aula, sempre favorecendo a reflexão sobre a escrita.


Referências
1.      CAGLIARI, Luiz Carlos. São Paulo: Scipione
2.      FERREIRO, Emília. TEBEROSKY, Ana. Psicogênese da Língua Escrita. Porto Alegre: Artes Médicas, 1985
3.      SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO E CULTURA. Política Municipal de Educação. 2008
4.      SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO E CULTURA. Caderno de listas e nomes próprios. 2008
5.      SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO E CULTURA. Caderno de parlendas. 2008
6.      SEBER, Mª da Glória. A Escrita Infantil – o caminho da construção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário