terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

A criança de 6 anos



Formação Pessoal e Social + Conhecimento de Mundo 

Identidade e socialização

É no 1º ano que os vínculos e as relações entre as crianças tendem a se consolidar. As preferências entre elas são claras e a ação da professora está em explicitar que as parcerias podem e devem se modificar, dependendo do objetivo que se quer alcançar. Assim, busca-se quebrar fixações ou dependências, construindo relações que considerem o tipo de tarefa a ser realizada: uma dupla pode ser produtiva para realizar atividades plásticas mas não funcionar bem nas de escrita de texto, por exemplo.
As crianças já permanecem no espaço escolar, na maioria dos casos, observando as regras de boa convivência e interatuando de forma organizada com menor auxílio do adulto. Transitam pelo espaço da escola com desenvoltura e consideram as opiniões ou ideias da professora muito importantes.

Mais confiantes em suas capacidades para aprender, começam a ter os primeiros contatos com as condutas requeridas a um estudante: organização, empenho, cuidado com o seu material, atenção às orientações da professora, estratégias de resolução e verificação.
Corpo e movimento

As habilidades de força, velocidade, resistência e flexibilidade são trabalhadas em jogos coletivos e esportivos, em especial o queimado, o futebol e o basquete. Nos jogos, o aprimoramento motor das crianças acontece mediado pela necessidade do cumprimento de determinadas regras que exigem competências distintas. Vivências sociais e afetivas, como competir, ganhar e perder, são também experimentadas nestas atividades.
Espera-se que as crianças ampliem a orientação espacial, reconhecendo as diferentes dimensões do espaço: altura, largura e profundidade. Objetiva-se, também que progressivamente definam a dominância lateral, isto é, a preferência pelo uso de um dos lados do corpo.

Nesta fase, as crianças adquirem maior precisão dos gestos instrumentais, cada vez mais ajustados aos objetos: uso do garfo e da faca nas refeições; manuseio seguro de lápis, pincéis e canetas; domínio crescente do traçado da escrita com pressão e preensão ao pegar no lápis.

Linguagem Oral e escrita

O caráter comunicativo da linguagem oral e da linguagem escrita é enfatizado no trabalho pedagógico com crianças desta faixa etária.A fala é aperfeiçoada em situações de intercâmbio em que há a necessidade de explicar e argumentar ideias e pontos de vista.
O contato com a leitura e a escrita em situações concretas de comunicação é intensificado a fim de que as crianças deem continuidade ao processo de alfabetização.

Ao longo do ano, são desafiadas a ler com maior independência, diversos tipos de textos usando diferentes estratégias para a interpretação: análise do assunto, identificação do portador do texto, leitura das imagens e conhecimentos sobre a base alfabética da língua portuguesa.
As crianças participam também de atividades de escrita (espontânea e com modelos) nas quais desenvolvem capacidades para redigir (planejar, escrever, revisar e editar). Aspectos formais, relacionados à organização do texto no papel, como: separação das palavras, uso de maiúsculas e minúsculas e legibilidade, são explicitados durante a realização destas atividades.

Com as propostas sistemáticas e a interferência da professora, gradativamente as crianças avançam na compreensão da natureza e do funcionamento da escrita, compreendendo o princípio alfabético, no qual há uma relação convencional entre a segmentação da fala (fonemas) e a pauta escrita (grafemas). A partir daí, desafios são enfrentados no que diz respeito à ortografia e à pontuação.

Espera-se que os alunos envolvam-se nas atividades e estejam disponíveis para trocar conhecimentos com os colegas e os adultos, consolidando conhecimentos que garantam a leitura, a interpretação e a escrita convencional de textos, considerando-se o caráter inicial destas aprendizagens, continuadas nas séries seguintes do Ensino Fundamental.

Matemática

As atividades referentes ao sistema numérico estão relacionadas com contextos do mundo real e desafiam aos alunos a quantificar e fazer comparações entre quantidades. Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão são resolvidas com recursos como cálculo mental, uso de material estruturado e registros gráficos (espontâneos e convencionais). Estas vivências permitem que as crianças conquistem um progressivo domínio conceitual do sistema de numeração decimal com valor posicional.

Por intermédio de propostas reais que envolvem grandezas e medidas, iniciam a construção de habilidades para quantificar grandezas (comprimento, extensão, área, peso, massa, valor) e fazer comparações confiáveis entre elas. Para tal, os alunos entram em contato com unidades de medida não convencionais e com instrumentos e sistemas convencionais de medida (palmos, fita métrica, colheres, balança, sistema métrico e sistema monetário).

O uso do calendário permite medir o tempo transcorrido e que está por vir, e a observação das suas características e regularidades (7 dias por semana, dias em cada mês) auxilia as crianças na compreensão das noções temporais (passado, presente e futuro) tão importantes no estabelecimento de relações e na estruturação do pensamento infantil.

Em situações de resolução de problemas e de desafios, espera-se que as crianças aprimorem os conhecimentos construídos relativos a numeração e grandezas, e ampliem sua capacidade de antecipar resultados, formular hipóteses e confrontar pontos de vista.

Ciências naturais e sociais

Um dos principais objetivos do trabalho é incentivar a compreensão do conceito de transformação das diferentes realidades (sociais e naturais). Alterações causadas pela ação de agentes naturais e pela ação humana são estudadas a partir da observação da paisagem local (nas aulas-passeio) e da pesquisa de fontes de informação - enciclopédias, imagens, relatos.

As atividades desenvolvidas a partir do Projeto Temático Anual e dos Projetos Da Turma permitem, ainda, que as crianças se percebam como membros de uma família, de uma escola, de um bairro, de um país e de um planeta, envolvidas em uma teia de relacionamentos e imersas em ciclos históricos (passado, presente e futuro a ser construído).

Espera-se que os alunos demonstrem interesse por estes conteúdos, participem das pesquisas e das aulas-passeio e registrem suas aprendizagens por meio do desenho e da escrita. As crianças são incentivadas a compartilhar os conhecimentos construídos com outras turmas e, ao longo do ano, observa-se sua capacidade para apresentar ideias e defender pontos de vista com menos ajuda da professora. Continuam a ser valorizadas atitudes de manutenção e preservação dos espaços coletivos e do meio ambiente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário